Bioimpedância e avaliação da composição corporal

A avaliação nutrológica é composta de indicadores clínicos (anamnese e exame físico), antropométricos (medidas da cintura, circunferência abdominal,etc), instrumentais e laboratoriais.

Dentre os indicadores instrumentais, temos a bioimpedância, um exame que avalia a composição corporal. Atráves de uma corrente elétrica de baixa amplitude e alta frequência, ela estima a massa dos compartimentos corporais (músculo, gordura, água).

Clinicamente, a BIA nos fornece os seguintes parâmetros:

– peso corporal

– índica de massa corporal

– massa muscular

– massa e percentual de gordura

– água corporal total

– taxa metabólica basal

Existem diferentes aparelhos de BIA, mas os aparelhos tetrasegmentares também oferecem a distribuição de massa magra e massa de gordura entre membros inferiores, superiores e tronco.


20131208-205409.jpg

A bioimpedância tetrasegmentar auxilia a prescrição de treinos específicos para ganho de massa muscular ou perda de gordura em partes específicas do corpo.

Para quem busca controle do peso e melhora da composição corporal, a BIA faz o acompanhamento da perda de peso, da porcentagem de gordura e do ganho de massa muscular, orientando o médico nutrólogo na prescrição do plano alimentar, de suplementos ou de medicamentos para atingir o objetivo, de forma individualizada.

Resumindo, a BIA é um importante instrumento para definição dos planos, na prescrição de exercícios físicos e na monitorização do nível de hidratação.

Apesar de não haver consenso na literatura médica, é contra-indicada para gestantes e portadores de marcapasso e cardiodesfibrilador implantável.

Para realizar a BIA é necessário jejum de, no mínimo, 4h antes; não usar diuréticos 24 horas antes; não realizar exercícios e não ingerir cafeína no dia do exame. Lembrando que cafeína está presente no café, chás preto, verde e erva mate, no chocolate, no guaraná e refrigerantes à base de cola, nos energéticos e nos termogênicos.