Explicando os suplementos: whey protein, parte 1

explicando so suplementos: whey protein parte 1

IMG_0804.JPG

Para dar início aos trabalhos de 2015, vou fazer uma série de artigos, explicando o papel dos principais suplementos alimentares, como whey protein e as outras proteínas, BCAA (branched chain amino acids – aminoácidos de cadeia ramificada), a creatina e a cafeína.
Esclarecendo, A ANVISA (Agência Nacional de Vigilânica Sanitária) regula a classificação, a designação, a composição e a rotulação destes produtos no Brasil e os classifica como “alimentos para atletas”. Dentro desta categoria, encontramos as bebidas esportivas (suplementos hidroeletrolíticos); as proteínas como whey, caseína,blends protéicos e proteína da soja (suplemento protéico); os hipercalóricos (substitutos parcias de refeição); a creatina e a cafeína. Claro que o mercado oferece vários outros suplementos, porém, eles não entram nesta classificação, pois apenas os “alimentos para atletas” têm efeito ergogênico comprovado cientificamente. Ou seja, auxiliam na melhora da performance atlética com baixo risco à saúde do usuário.
Existem várias proteínas no mercado: whey protein, albumina, caseína, proteína da carne e da soja. O whey protein é a proteína do soro do leite e um dos suplementos mais famosos. Sua produção acontece quando o leite é fracionado e são separados o soro (onde está o whey) e a caseína (proteína mais abundante do leite). Ele pode ser encontrado na forma concentrada, isolada e hidrolisada. As diferenças entre as apresentações são a quantidade de lactose e gordura (maior no concentrado e menor no isolado) e o tempo de absorção (menor no hidrolisado). A qualidade da proteína é semelhante: o whey protein é rico em leucina (um aminoácido muito importante na síntese muscular) e em substâncias biologicamente ativas, que atuam na cicatrização de lesões, na melhora da qualidade do sono e com ação anti-oxidante, antibacteriana e anti-viral.
Muitas pessoas consomem o whey protein até 30 minutos após a sessão de treino por acreditar que exista uma janela de tempo, quando o consumo estimularia numa maior síntese muscular. A existência dessa janela, atualmente, é controversa, pois trabalhos recentes mostram que mais importante do que consumir a proteína após o exercício seria atingir a necessidade total de proteína no dia, independente da hora em que ela seja consumida.
Ao contrário do que muitos acham, o whey protein não é um suplemento específico para definição muscular. Quem faz musculação e consome whey, cursa com aumento da massa muscular e diminuição da gordura corporal. Entretanto, participantes de provas de fundo, como maratona, podem-se beneficiar porque o whey protein ajuda a recuperar a musculatura e a restaurar os níveis de glicogênio dentro do músculo. Essa molécula é o combustível dos maratonistas na hora do sprint final nas provas.
Se você quer saber qual proteína é melhor, não perca a próxima coluna do NUTROESPORTE, onde vou fazer um comparativo entre o whey protein e as proteínas caseína, ovo, proteína da carne e soja.