Idosos e suplementos combinam?

Idosos e suplementos combinam

Existem muitos mitos e lendas sobre suplementação. Alguns poucos foram desvendados na nossa série “Explicando os suplementos”, publicada desde janeiro. Porém, o grupo dos idosos ainda oferece resistência ao uso de suplementos, principalmente, se eles são usados por atletas.
Mas alguns desses suplementos podem melhorar a qualidade de vida desta população em especial.
Obviamente que quando falamos sobre idosos, falamos de pessoas que podem ter doenças crônicas, como pressão alta, diabetes, colesterol e triglicerídeos altos, alteração da função renal ou da função do fígado. Portanto, não podemos prescrever suplementos sem antes conhecer a história médica, quais os medicamentos em uso e qual a rede de apoio desta pessoa e o grau de independência para realizar tarefas. Sendo assim, uma consulta médica é indispensável e a interação entre os médicos e nutricionistas que acompanham este idoso.
Com o passar dos anos, o metabolismo fica mais lento e fica mais fácil perder massa muscular. Se esta perda muscular é crônica e continua, ela pode caracterizar a sarcopenia e aumentar a morbidade do idoso. Porque quem tem menos músculo, não se equilibra bem, pode cair com mais frequência, ter fraturas e até traumatismos cranianos, levando a internação hospitalar e a consequência de mais perda muscular em quem já tinha pouco.
Aminoácidos essenciais e leucina vêm sendo estudados para uso pré-operatório de idosos que vão colocar prótese no joelho ou quadril, pois o uso pré-operatório diminuiu a perda muscular pós-operatória. Estudos mostraram que ao aumentar a quantidade dos aminoácidos, sem aumentar a quantidade total da proteína, já é o suficiente para preservar a massa muscular, o que é uma boa notícia para quem tem restrição de consumo proteico, como pessoas com insuficiência renal e que não dialisar ou pessoas com cirrose.
A creatina aumenta a performance dos atletas e também nos idoso: ela aumenta a massa magra e melhora a função cognitiva. Ou seja, além de ganhar músculos, o idoso vai ter mais memória e coordenação para usá-los. E ela já vem sendo testada em pessoas com discreta alteração da função renal, pois os trabalhos mais recentes mostram que doses de 3 gramas por dia não afetam a saúde renal.
Idosos com câncer também estão na lista dos beneficiados por suplementos. O hidroximetilbutirato, ou somente HMB, é uma substância que evita a perda de massa muscular, principalmente no grupo dos pacientes oncológicos. E se eles começarem a treinar força, ou seja, fazer musculação na reabilitação, podem ganhar até 1kg de massa muscular durante o uso deste suplemento.
Além disso, a indústria alimentícia oferece suplementos hipercalóricos e hiperprotéicos, para quem perde o apetite, muito comum também de acontecer com idosos. Esses suplementos ajudam o idoso a atingir a quantidade de proteínas e calorias totais e evitam o déficit calórico, que leva a sarcopenia. Alguns produtos conseguem chegar a 400 calorias em 200ml, pois têm alta densidade calórica em pouco volume, ideal para quem não consegue ingerir grandes quantidades de alimento.
Mesmo não sendo da área da saúde, os familiares devem sempre tomar conta do peso do idoso. Em caso de perdas rápidas, como por exemplo perda de 5% do peso em um mês, ele deve ser avaliado pelo seu médico. A perda de peso pode ser um dos primeiros sinais de doença! O índice de massa corporal (IMC) do idoso é diferente do adulto. Idoso com IMC menor que 22 é um idoso em risco nutricional que precisa ser avaliado para definir causa e tratamento da desnutrição. Também devemos lembrar de sempre insistir na hidratação dos idosos, pois eles demoram mais a ter sede e ficam desidratados com mais facilidade.
Ser idoso não significa que acabou. Mesmo quem teve uma vida de excessos, que levou a consequências na forma de doenças, pode recomeçar e ter um estilo de vida mais saudável dentro da sua condição de saúde atual. Lugar de idoso é caminhando, nadando, se mexendo… Interagindo com seus amigos e familiares. E, não, no leito de um hospital.