4 benefícios da Aloe Vera

A Aloe Vera é uma substância presente na planta babosa e é muito usada na Cosmetologia, devido às suas ações hidratante e anti-envelhecimento. Além de também ser rica em vitaminas A, C e E, a aloe vera apresenta outras propriedades benéficas para o organismo. Listamos aqui 4 delas:

1. Cicatrização

Através de substâncias como o glucomanana e a giberelina (que funciona como hormônio do crescimento), a aloe vera estimula a produção de colágeno de vários tipos, fazendo com que a cicatrização seja mais rápida e de melhor qualidade. Além de ser encontrado na pele, o colágeno também é encontrado nos tendões – as estruturas que ligam os músculos aos ossos.

2. Laxante

A aloe vera é um laxante potente e natural. As antraquinonas estimulam a contração da musculatura intestinal e de produção de muco, sendo uma terapia auxiliar para o tratamento da constipação.

3. Melhora da digestão

Várias enzimas participam do nosso processo de digestão dos alimentos, como a lipase (digere gordura) e amilase (quebra o amido). Podemos encontrar essas e várias outras enzimas na aloe vera, ajudando o processo digestivo em pessoas com doenças do trato gastrointestinal.

4. Anti-inflamatória

A aloe vera possui 4 esteróis na sua composição (colesterol, campesterol, lupeol e sisosterol) que, juntos, têm ações anti-inflamatórias, anti-sépticas e analgésicas. O uso tópico, além de melhorar a cicatrização, evita que uma ferida fique inflamada, evita crescimento de germes e ainda melhora a sensação de dor no local.

VEJA O LIVE NUTROESPORTE COM @ANUTROLOGA NO PERISCOPE 

A aloe vera já foi testada em humanos e animais, mostrando efeito comprovado cientificamente em várias doenças, como psoríase, queimaduras, dermatite por rediação, diabetes tipo 2 (melhora o controle do açúcar no sangue), constipação intestinal e na prevenção de câncer (efeitos antioxidantes).

Apesar da extensa lista de benefícios, efeitos colaterais podem surgir, como:

  • vermelhidão local, alergia;
  • cólicas abdominais e diarréia;
  • diminuição do potássio no sangue;
  • uso prolongado está associado a aumento de câncer de intestino;
  • não é recomendado para gestantes e durante a amamentação.